Entrevista a Paulo Barbosa Director da ACDC.

 

 

Fonte da Notícia

 


Paulo Barbosa foi sempre uma pessoa virada para o futebol. Há dez anos atrás era ele quem apresentava as melhores equipas nos torneios de futebol de cinco e sete. Foi sempre obcecado pelos títulos, e apresentava formações de grande valor, por isso foi sempre um ganhador.
Ainda sem fazer parte da direcção começou a desempenhar um bom trabalho na ACDC. Mais tarde, foi convidado a fazer parte da direcção da ACDC, sendo que o seu trabalho e conhecimentos no futebol fazem dele uma das pessoas responsáveis pelos últimos êxitos conseguidos pela ACDC contribuindo (e de que forma) com um trabalho notável com o seu empenho e dedicação ao clube, daí o Carapeços Online o ter solicitado para esta grande entrevista.


Nome completo: Paulo Jorge Gonçalves Barbosa
Idade: 33 anos
Profissão: empresário Têxtil

Carapeços Online: Paulo, hà quantos anos fazes parte da direcção da ACDC?
Paulo Barbosa
: Estou há cinco anos, incluindo este ano desportivo que termina em Junho de 2006. Isto é, quatro anos como elemento da direcção, e um ano antes trabalhando sem fazer parte da mesma.

CO: Quais são verdadeiramente as tuas funções dentro do clube?
PB: Sou um elemento da direcção que faço aquilo que for necessário para o bom funcionamento do clube, mas mais propriamente ligado ao futebol porque é aquilo que mais gosto de fazer.

CO: Qual é a tua relação com os membros da direcção e atletas?
PB: A minha relação com os meus colegas de direcção é boa porque sabemos a posição que cada um ocupa dentro do nosso clube. Sempre defendi que fazendo todos parte de uma direcção temos que saber todos o que se passa no clube mas sempre por departamentos distintos. Ou seja, se sou responsável por a secção do futebol ninguém deve interferir mas todos devemos saber o que se passa. Em relação à minha relação com os jogadores só eles podem dizer mas da minha parte penso que faço sempre aquilo que está ao meu alcance para o bem deles e da instituição pois se eles não se sentirem bem o clube também não está bem, e todos devemos remar para o mesmo lado.

CO: Tenho reparado que desde a tua entrada para a direcção o plantel tem sido bastante equilibrado a nível de sectores? Vai dai ACDC ter lutado sempre pelo título até ao último jogo do campeonato? No teu entender o que falhou para que Carapeços não tivesse conquistado nenhum título a época passada? Depois de na época anterior ter ganho tudo o que havia para ganhar? Refiro-me, ao campeonato, Taça cidade de Barcelos, e super taça, falhando apenas a taça inter concelhias .
PB: Sabíamos que depois de termos vencido tudo a nível da associação de Barcelos, partíamos para a nova época como uma equipa a abater, porque praticamente ninguém queria que o Carapeços fosse novamente campeão. Daí no meu entender penso que foi o que se passou, pois a equipa era praticamente a mesma, e apesar de ter entrado novo treinador(Baganha) os métodos mudaram, mas no  entender e de todos nós, a equipa passou a jogar melhor futebol. Com um pouco mais de sorte podíamos ter sido novamente campeões.

CO: Cabe a ti delinear o plantel?
PB: Sim em conjunto com o Manuel capitão e treinador (Baganha).

CO: Cabe só a ti observar jogadores ou tens mais alguém que te vai informando?
PB: Normalmente quando descubro alguém que possa interessar ao clube, vou recolhendo informações, principalmente atraves do mister (Baganha) pois é uma pessoa com grandes conhecimentos.

CO: Com a equipa júnior a participar no campeonato é uma mais valia para reforçar a equipa sénior?
PB: Sim desde que os jovens que fazem parte da equipa júnior assim o queiram, pois para se jogar à bola também é preciso fazer vida para isso, apesar de estarmos a falar de campeonatos populares mas que também requerem trabalho e empenho de todos. Não sendo assim é muito complicado.

CO: Á por vezes conversas de café que há jogadores na ACDC a ganhar dinheiro! Estando tu ligado ás contratações, o que tens a dizer sobre essas afirmações?
PB: As pessoas falam em ganhar dinheiro, e no meu ponto de vista ganhar dinheiro é ter um salário mensal ou semanal de valores altos. Isso não se passa no Carapeços. O que se passa em relação a este tema é que o clube colabora com um valor irrisório para ajudar a custear as despesas de gasolina a alguns jogadores considerados estrangeiros e digo alguns porque mesmo assim nem todos querem. As vezes fala-se mais do que se passa na realidade, e se fosse como se comenta ás vezes tínhamos contratado mais alguns jogadores, mas a nossa politica não é essa. Temos sim uma boa relação com diversos jogadores de qualidade e quando acabam por vir jogar para o Carapeços comenta-se logo que vem ganhar dinheiro. Isso não se passa e como prova já tivemos a jogar cá jogadores que hoje jogam noutros clubes e podem dizer como foi, temos sim uma grande camaradagem, e isso marca.

CO: Baganha é o treinador certo? Estão satisfeitos com o seu trabalho na ACDC?

 


PB: Baganha é o homem certo, na equipa certa, é um grande treinador espero que fique muitos anos no Carapeços.

CO: Quais os teus objectivos em termos de liderança na ACDC?
PB: O meu objectivo é servir ACDC independentemente do lugar que ocupo na direcção e não esquecer que já trabalhei um ano no Carapeços e não fazia parte da direcção. Ajudar sempre o clube naquilo que poder, e souber, para o melhor da associação embora sabendo que um dia vou ter de abandonar este maravilhoso clube de que tanto gosto.

CO: A direcção termina o seu mandato no final da época. É vossa vontade continuar este trabalho?
PB: Neste momento penso que ainda é cedo para se falar de uma possível recandidatura. Penso é que se deve fazer um alargamento dos actuais cinco elementos da direcção para sete ou oito elementos. Isso é que deve neste momento ser pensado para se tornar possível.

CO: Qual o melhor para ti o melhor momento vivido como director?
PB: A conquista dos três títulos na época passada (campeonato. taça, super taça)

CO: E o pior momento?
PB: O pior momento foi quando fomos à final e perdemos e quando estávamos a cinco minutos de ser novamente campeões “na época que acabou”e não nos deixaram, embora apareça sempre durante a época momentos difíceis mas ultrapassáveis com a ajuda de todos.

 

 

Obs.  Esta entrevista foi efectuada e publicada por José Pernicas da Silva no Carapeços online em 14 de Novembro de 2005 .

 

 http://www.carapecos.com/content/view/666/66/